Notícias
Geral

ATO LEGAL

Presidente da Câmara de Chapada refuta acusações de vereadora cassada sobre nomeações

04/06/2024 ás 16:16:00

KATIANA PEREIRA
Fonte: ASSESSORIA DE IMPRENSA
Foto por: DA ASSESSORIA

Mariano Fidelis (PSD), vereador por Chapada dos Guimarães e atual presidente da Câmara Municipal, emitiu hoje um pronunciamento em resposta às acusações feitas pela vereadora cassada Fabiana Nascimento (PSDB). Fidelis defendeu veementemente a integridade e legalidade das nomeações realizadas no âmbito do poder Executivo Municipal, refutando as alegações trazidas à mídia pela ex-vereadora, após ter o seu mandato cassado por nove vereadores. 

"Fiz questão de vir a público para esclarecer e rebater as informações distorcidas trazidas pela vereadora cassada Fabiana Nascimento. Suas alegações são infundadas e desprovidas de veracidade. As nomeações realizadas pelo poder executivo municipal são legais e seguem os trâmites normais. Não há nenhum crime cometido pelos vereadores neste processo", afirmou Fidelis.

O presidente da Câmara também destacou a incoerência nas declarações de Nascimento, lembrando que a mesma ocupou cargos de chefia no município, quando fazia parte da base do prefeito. Fidelis questionou a súbita mudança de posicionamento da ex-vereadora, ressaltando que suas alegações surgiram apenas após sua cassação.

"Fica evidente a contradição da ex-vereadora, que só agora levanta supostas irregularidades, enquanto anteriormente ocupava cargos de destaque na administração municipal. O mesmo eu digo sobre parentes da ex-vereadoras, que até pouco tempo ocupavam cargos na Prefeitura, por indicação dela própria. Se realmente entendesse que tais nomeações configuram crime, deveria ter se manifestado no momento da sua ocupação, no ato de nomeação. E não agora, após sua cassação", declarou Fidelis.

Sobre a cassação de Nascimento, Fidelis esclareceu que foi um julgamento político, onde cada vereador votou de acordo com seu entendimento sobre a quebra de decoro parlamentar. Ele enfatizou que o foco da Câmara Municipal é garantir o bem-estar e a integridade do poder legislativo.

"O julgamento da cassação foi político, como é natural no ambiente legislativo. Todos os vereadores tiveram a oportunidade de expressar sua opinião e votar de acordo com sua consciência. Nosso compromisso é com a defesa dos interesses da população e a integridade do poder legislativo municipal. Se a nossa decisão foi política, a defesa da ex-vereadora também foi, já que o advogado não conseguiu fazer uma defesa técnica e partiu para agressões verbais, constrangimento, mostrando total despreparo e o resultado foi o mandato cassado", concluiu Fidelis.

Compartilhe esta notícia!


Privacidade